December 22nd, 2008

rosas

um dia



Não sei como um dia sobreviverei à tristeza, ao deserto dos afectos, aos desmantelar das casas, aos móveis despachados a quem faça a misericórdia de ficar com eles. Não sei como um dia pegarei em cada objecto, em cada tesouro daquilo que hoje me parece um cúmulo de inutilidades, com a impossível certeza de que será a derradeira vez que lhe toco. Não sei como um dia haverá saída para a mágoa, o sufoco, a angústia, a desistência.