October 17th, 2008

rosas

inquietação

«pedir de cor um poema e eu
não conseguir»


É um poema, 'Alexandre', de Mário Jorge Bonito, com o qual o José Mário Branco fez uma canção, 1900 (Carta a Anton Tchekov).

Ouço cada vez menos música, quer dizer com cada vez menos atenção. Mas se calha um dia (ou uma noite, ou uma hora) tropeçar na música, numa canção, no Zé Mário Branco, depois fico em loop, sem conseguir sair. Sem conseguir. Hoje tropecei na canção Inquietação, do José Mário Branco, mas cantada pelo J.P. Simões. Um cd raro, edição da Fnac, que não sei como é que apareceu na casa dos meus pais. Devo ter sido eu a trazê-lo, mas não me lembro nada. Ou então veio com o jornal, não sei. Foi a minha mãe que o encontrou e deu-mo, espantada com as canções. Versões fantásticas, feitas por músicos portugueses, de algumas canções, se não clássicas pelo menos incontornáveis. Olhando para o line up do cd parece não ter havido outro critério a não ser tratarem-se todas de versões surpreendentes, espantosas (e algumas também espantadas). O disco chama-se Uma Outra História, e é uma jóia, suponho que escondida. Ora esguardai:

01. José Mário Branco + Canto Nono ­- O Que Será (À Flor da Pele) (Chico Buarque)
02. Margarida Pinto (Coldfinger) + Tó Trips -­ Capitão Romance (Ornatos Violeta)
03. Ricardo Rocha ­- Saudade (Love & Rockets)
04. Ana Deus + Carlos Zíngaro + Regina Guimarães + The Zany Dyslexic Band -­ Venus In Furs (Velvet Underground)
05. Old Jerusalem -­ For What It's Worth (Buffalo Springfield)
06. Carlos Bica ­- Paris, Texas (Ry Cooder)
07. Anabela Duarte + Mário Delgado + Alexandre Frazão + Zé Nabo -­ Baby (Os Mutantes)
08. JP Simões + Miguel Nogueira -­ Inquietação (José Mário Branco)
09. Kalaf + António Olaio + Marco Franco -­ Procissão (João Villaret)
10. Zé Pedro + Alexandre Soares + Gui + Pedro Gonçalves + Jorge Coelho + Fred - Call Up (The Clash)

Esta canção do Zé Mário Branco é das minhas preferidas dele, o que é uma coisa assinalável, pois eu acho que o Zé Mário escreveu muitas canções geniais. Inquietação apareceu, se não estou em erro, no cd Ser Solid/tário. Uma canção fortíssima, como todas as do compositor, intensa, arrancada das profundezas. E que eu sempre associo ao gesto do Zé Mário, ao cantá-la ao vivo, de levar a mão à cabeça, com a voz quase a tremer, quando, no final, vai repetindo o refrão.

Mas como o seu a seu dono, deixo aqui o clip de Inquietação cantada pelo J.P. Simões, porque hoje o dono desta inquietação foi o J.P. Que dá uma certa mansidão à canção, mas nem por isso a torna menos inquieta.



«A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal por que passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Ensinas-me fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco para chegar
Eu não meti o barco ao mar
Pra ficar pelo caminho

Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
Qualquer coisa que eu devia perceber
Porquê, não sei
Porquê, não sei
Porquê, não sei ainda

Cá dentro inqueitação, inquietação
É só inquietação, inquietação
Porquê, não sei
Mas sei
É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
Qualquer coisa que eu devia resolver
Porquê, não sei
Mas sei
Que essa coisa é que é linda