July 9th, 2008

rosas

sigo-te nas sombras


Fotografia do Mário Pires


Sigo-te nas sombras
no desvario dos degraus, na cinza leve da pedra
que esvoaça em promessas de ondas à minha frente

Sigo-te na distância do ferro
nas cicatrizes negras do fogo
na surda reverberação da memória

Sigo-te nas sementes secas de uma estação passada
os esqueletos do vento

Sigo-te, por fim, no rumor dos passos ausentes
na sombra esvoaçante e fugidia de quem busca refúgio
da inclemência, dos remanescentes destroços da noite

Sigo o que já passou
aérea e excruciante marca da tua ausência
a encharcar a secura das lages, dos passeios