?

Log in

No account? Create an account

o azul na tua mão
rosas
innersmile


«CANÇÃO ESCRITA NAS AREIAS DE LAGA

No teu ombro respiro.
Belos são os navios,
altos, estreitos.
Feliz, o teu rosto no meu.
Que luz sobre o teu peito!

No teu ombro respiro.
Belas são as areias,
fulvas de verão.
Feliz, o meu rosto no teu.
Oh tão azul o mar na tua mão!»


- Eugénio de Andrade, MAR DE SETEMBRO



Hoje é o dia mais longo do ano. Solstício de Junho. São dos meus dias favoritos, os de solstício. O de Dezembro porque me traz sempre a promessa do Verão, e o de Junho a sua certeza.
É assim nesta metade de cima do mundo, a que habitamos.

E se no solstício de Dezembro me lembro sempre do poema de Robert Frost que tem o verso "the darkest evening of the year" (e do qual é pouco dizer que é um dos meus poemas favoritos), neste de Junho é sempre de um poema, e sempre o mesmo, de Eugénio de Andrade que me lembro: a arte de navegar. Mas como já o pus aqui mais do que uma vez, desta vez comemoro a chegada do Verão com outro poema do Eugénio.