June 4th, 2008

rosas

YSL

Um destes dias os noticiários das televisões anunciaram que Yves Saint Laurent faleceu, aos 71 anos, vítima de um tumor cerebral. O estranho desta notícia é que ela descreve um facto da vida, um acontecimento banal, quotidiano. De todos nós, se tivermos sorte, alguém (um vizinho, um conhecido ou, em última análise, um jornalista) vai dizer um dia 'morreu Fulano de Tal, tinha x anos'. E o que é estranho em ver a frase aplicada ao famoso costureiro francês é que, no meu espírito como imagino no de muita gente, o nome de Yves Saint Laurent se foi, parafraseando o poeta, da lei da morte libertando.
De facto Yves Sain Laurent já não era, pelo menos para mim que não tenho memória de um tempo em que não o reconhecesse, o nome de uma pessoa. Era uma marca, uma griffe como se diz no mundo da moda. Ascendeu ao panteão dos mitos. Era, e continuará a ser, um ícone do século XX, como James Dean, Marylin Monroe, a Gillette ou os corn flakes da Kellogs.
O que é estranho, então, é anunciarem-nos à hora do telejornal a morte de um mito. De alguém que no nosso imaginário há muito (desde sempre) tinha ascendido já à etérea condição de santo da cultura popular.

A moda é coisa que não me prende, acho que, com duas ou três excepções, e YSL não é nenhuma delas, sou incapaz de distinguir as roupas de um costureiro famoso. Mas YSL é também a marca de alguns dos perfumes que usei: Jazz, Kouros, e Rive Gauche que continua a ser um dos meus perfumes favoritos.
rosas

they are the champions

O futebol português é um pântano infecto e é enorme a probabilidade de Pinto da Costa ser um dos responsáveis maiores por esse estado de coisas. São por isso bem vindas as medidas, tomadas dentro ou fora do país, destinadas a pôr um termo a essa podridão.
Mas a decisão da UEFA de impedir o Futebol Clube do Porto de alinhar na Champions na época de 2008/2009 é tremendamente injusta. O Porto é o único clube de futebol português que merece, por direito mais do que próprio, participar nessa competição. Acho que ninguém minimamente honesto (ui, esta palavra!) pode negar que o Porto é neste momento o melhor clube português, e o único que ombreia com os uniteds, os inters e os reals. E, apesar de eu ser sportinguista, tenho a convicção de que a Champions sem o Porto perde muito interesse competitivo.
O meu clube estrangeiro favorito é, desde há perto de 25 anos, o Manchester United. E em competições de clubes, ao contrário do que acontece em campeonatos de selecções, só torço pelos meus clubes favoritos, o Sporting e o Manchester. E tenho pena se não puder ver nenhum destes meus clubes a jogar e a vencer contra um dos melhores clubes do mundo.