?

Log in

No account? Create an account

a mãe do miguel
rosas
innersmile
um destes dias fui visitar um amigo que esteve internado para fazer um tratamento de quimioterapia. estava numa enfermaria de duas camas, e na cama ao lado da dele estava internado um rapaz ainda muito novo que devia estar bastante mal, e que se chamava Miguel. sempre que lá fui visitar o meu amigo, a mãe do Miguel estava ao pé dele. no primeiro dia o Miguel estava acordado e a mãe estava a tratar dele, a tentar pô-lo de lado, acho que para lhe pôr a arrastadeira. na segunda tarde, todo o tempo que lá estive o Miguel dormiu, e durante todo esse tempo a mãe esteve sentada numa cadeira ao lado da cama a segurar a mão do Miguel. como eu e o meu amigo estamos sempre a mandar bocas e a dizer piadas, e apesar de estar a fazer quimioterapia o meu amigo não perdeu o sentido de humor, a mãe do Miguel estava sempre a olhar para nós e a rir-se dos nossos disparates. mas sempre com as duas mãos a segurar a mão do Miguel, uma a apoiá-la e a outra a afagá-la. entretanto o meu amigo teve alta e eu não voltei à enfermaria onde ele esteve internado e não tornei a ver o Miguel e a mãe do Miguel. para falar verdade, e como tenho muito pudor e tento sempre não olhar, nem me consigo lembrar bem do rosto da mãe do Miguel. há muitos muitos anos eu estive deitado numa cama de hospital assim, a fazer tratamentos de quimioterapia, e a minha mãe passava os dias sentada ao lado da minha cama a fazer-me festinhas na mão enquanto eu, que era um miúdo mimado e revoltado, me vingava nela de toda a dor e de toda a raiva que sentia. hoje fui visitar a minha mãe ao hospital, porque foi operada. segurei-lhe na mão, fiz-lhe festinhas e conversei muito com ela. apesar de ter sido operada de manhã, e de ter muitas dores, estava bem disposta e até com vontade de conversar comigo. agora estava aqui sozinho a passar o dia em revista e a tentar pôr um bocado de ordem e de calma no espírito. e a pensar na minha mãe. eu gosto muito da minha mãe e quero que ela recupere depressa e torne a sentir-se bem. mas seu eu rezasse, hoje as minhas preces iriam todas todas para a mãe do Miguel.