December 17th, 2007

a_seco

estação seca . 8/25

8

Vê como o sol se põe e nasce sempre na veia que pulsa no teu braço.
Vê como a água corre sempre nos teus olhos.

Vê como, por um momento, te sabem a sal a angústia e o esquecimento.

Vê como fechas os olhos e um filme arranha o forro das tuas pálpebras.
Vê como são frágeis os dias. Como são frágeis os dias da tua ausência. Frágeis os dias que contas devagar até chegarem outros tão frágeis que os substituam.

Vê como facilmente te esqueces.