?

Log in

No account? Create an account

excusez un peu
rosas
innersmile
Durante muito tempo, o dia 30 de Novembro foi uma data fetiche, para mim. Se houve coisa que a blogosfera desvirtuou um pouco foi a cena das efemérides: à conta de não se ter um assunto mais interessante para falar, as efemérides vão enchendo chouriços. Hoje de manhã, quando me lembrei do dia que era e do que ele antigamente significava, pensei que poderia perfeitamente pôr uma entrada aqui, não fosse o caso de concerteza irem aparecer dezenas de posts a falar no assunto. Pelo sim pelo não, não fui conferir. Decidi, ao invés, pôr um poema sobre a constipação.

Tenho uma grande constipação,
E toda a gente sabe como as grandes constipações
Alteram todo o sistema do universo,
Zangam-nos contra a vida,
E fazem espirrar até à metafísica.
Tenho o dia perdido cheio de me assoar.
Dói-me a cabeça indistintamente.
Triste condição para um poeta menor!
Hoje sou verdadeiramente um poeta menor.
O que fui outrora foi um desejo; partiu-se.

Adeus para sempre, rainha das fadas!
As tuas asas eram de sol, e eu cá vou andando.
Não estarei bem se não me deitar na cama.
Nunca estive bem senão deitando-me no universo.

Excusez un peu... Que grande constipação física!
Preciso de verdade e da aspirina.


- Álvaro de Campos