?

Log in

No account? Create an account

the brave one
rosas
innersmile
Há demasiados detalhes incómodos que impedem que se possa desfrutar de The Brave One, o filme de Neil Jordan com Jodie Foster, como um mero thriller de entretenimento. A começar pela própria história: são sempre um pouco perigosas estas histórias justiceiras em que um sentido individual e privado de justiça se sobrepõe aos atavismos do sistema. Ou seja, onde é que eu prefiro viver, numa sociedade onde o sistema judicial tem falhas, ou numa outra em que cada cidadão pode reclamar para si esse papel de justiceiro?
Ora eu acho que o Neil Jordan (ou os seus argumentistas, enfim) percebeu o perigo de considerarem o seu filme fascista e então vá de encher a história e a sua principal personagem com carradas de psicologismo, abismos profundíssimos e traumas devastadores. A ideia era retirar qualquer sentido político à actuação da Erica, situando-a exclusivamente no terreno da mente e dos seus fantasmas. Algumas das representações que o filme ensaia para estes abismos e traumas são tão forçados que roçam mesmo o mau gosto.
O resultado é dramático. Estamos muito longe da paranóia justiceira de Taxi Driver, justificando a violência como uma espécie de desvario pequeno-burguês, sem quaisquer consequências de rotura do tecido social que envolve a personagem, antes pelo contrário, como se os mortos se limitassem a ter um efeito apaziguador. Tudo está bem no fim, é claro, e o body count parece não pesar na consciência de ninguém.
Se do ponto de vista narrativo, o filme demonstra segurança e desenvoltura, já ao nível do argumento a coisa não me parece deslizar tão bem, havendo algumas soluções que me pareceram forçadas face ao sentido e ao ritmo que a própria história levava. Todo a história paralela do mafioso que matou a mulher é introduzido à força apenas para fornecer uma saída para o desenlace, e torna-se, por isso, muito pouco credível.
É um bocado impossível não gostar de Jodie Foster, mesmo se o seu registo tenso não traz nada de novo ao que já conhecíamos da actriz. Terrence Howard, por seu lado, confirma uma presença intensa no ecrã, ainda à espera de um papel que lhe dê o tamanho que ele parece ter.
Tags: