September 22nd, 2007

rosas

one, two, three, four

you touch my innersmile

Tenho ideia de já ter falado nisso aqui no innersmile: no Primavera de 2001 eu descobri os diários online, os blogs, e andava ansioso por descobrir uma maneira fácil de criar um. Um dia, a fazer uma pesquisa sobre os X-Ray Spex descobri um livejournal! Percebi que era fácil criar um e fui seguindo o step-by-step, até empancar na necessidade de atribuir um nome.
Nessa altura eu andava um bocado obcecado com uma canção dos Texas, intitulada precisamente 'Inner Smile'. Para falar a verdade nem era tanto com a canção que eu andava obcecado, mas com o video-clip. Recordo que na altura o youtube ainda não tinha sido inventado, e só víamos clips na televisão, sendo por isso mais ou menos raras e sempre fortuitas as oportunidades de apanhar o clip a ser transmitido.
Decidi, à falta de imaginação para mais, escolher o nome da canção para criar a conta no livejournal.

O clip continua a fascinar-me hoje tanto como me fascinava antigamente. Acho genial a ideia de brincar com os géneros e com a ambiguidade, ao mesmo tempo que brincava com um dos maiores símbolos da música popular. O clip reconstrói o ambiente e o look de uma das mais famosas gravações do Elvis pós-rock'n'roll, o Comeback Special de 1968, gravado especialmente para a televisão. E é precisamente a mistura entre um estilo facilmente identificável, e que é uma trade mark da música popular, e a forte ambiguidade sexual que se cria, com os olhares cruzados e a própria postura muito macho da Sharleen que transformam este clip numa obra-prima da arte do vídeo-clip musical.

Com a proporção e a importância que o innersmile foi tomando na minha vida ao longo destes anos, muitas vezes pensei mudar-lhe o nome, para qualquer coisa que fosse mais 'meaningful', e de preferência em português. De resto, o que aparece no topo da página como nome é o verso de Reinaldo Ferreira, Um Voo Cega a Nada. Mas de algum modo o nome 'innersmile' ainda continua a fazer sentido, e sempre que eu penso ou me refiro ao diário, é neste nome que penso. Mais do que o próprio jornal, acho que sou eu que me continuo a identificar, de um modo mais divertido e irónico do que sério e comprometido, com a ideia de innersmile que este clip dos Texas me transmite.



«(one, two, three, four)
Yeh, yeh
Oh yeh

You gave me something
Like loving
And took me in so soon
You took my feelings
From nothing
Came back at noon
Just meet me
Im ready
To show myself to you

So if I lose my patience
You must try to understand
(try to understand)
If I lose my patience
Oh yeh

Cause you make me feel
Cause you make me feel wild
You touch my inner smile
You got me in the mood
So come on and make your rule
And free me

You make my wishes
As much as
Your kisses make me blue
Youve found my river
Now will you
Escape away too
But baby
Im ready
Im falling into you

So if I lose my patience
You must try to understand
(try to understand)
If I lose my patience
Oh yeh

Cause you make me feel
Cause you make me feel wild
You touch my inner smile
You got me in the mood
So come on and make your rule
And free me

Sometimes I need to be alone
Theres times I need for you to phone
Sometimes you make me feel so high
Theres times I ask myself why»