September 12th, 2007

rosas

creta.7 (fim)

28.8.07
Último dia de férias, todo passado na praia, a carregar baterias para o regresso e sobretudo a encher os olhos deste mar magnífico.

Fomos a Iraklion depois do jantar, para as despedidas: um passeio pela Korai (aliás 2, um para cima e outro para baixo), e, claro, a esplanada do Phyllo…Sophies para um frappé e a última bougatsa. A vida dos cafés, o movimento da cidade, as esplanadas cheias de gente diversa, estas noites quentes e animadas na Plateia Venizelou, vão ser das coisas que vou levar e guardar desta minha primeira vinda à Grécia, a Creta.
Roubei um menu do café. Aliás, foi a primeira vez que havia na mesa um menu do próprio estabelecimento, e não apenas as cartas comerciais dos gelados. O menu do Phyllo…Sophies tem, além dos artigos e dos respectivos preços, uma pequena história, ilustrada, do café e da especialidade da casa, a bougatsa. O café originalmente chamava-se Lions, por causa dos leões da fonte Morosini, e só desde 2001 é que usa o nome a fazer trocadilho com a pasta filo, que é usada na confecção do doce da casa (e que, a propósito, aprendi a escrever com grafia grega).
Consigo identificar algumas palavras em grego, ou melhor, algumas letras, e as palavras quando são curtas e têm as letras que eu reconheço. Há pouco estava na esplanada a olhar para uma varanda de um prédio de fronte com uma faixa de pano com o acrónimo PASOK, o partido socialista grego (KKE é o famoso partido comunista grego e em quase todas as cidades que visitámos vimos a sede local do partido).
Eu sei que me dão sempre estes entusiasmos, mas a verdade é que fiquei com vontade de aprender grego, sobretudo a grafia, que é lindíssima. Aliás, uma das razões porque eu gosto tanto de viajar é porque me apaixono sempre pelos lugares que visito

São sete e pouco da manhã do dia 29 de Agosto, estou perdido de sono, e o avião levantou voo há poucos minutos, do aeroporto Nikos Kazantzákis, em Iraklion. Estou a ouvir música no mp3, e a primeira canção a passar foi The Only Living Boy in New York, dos Simon & Garfunkel cujo primeiro verso é: "Tom, get your plane right on time". Por um momento, é só isso que interessa, apesar de parecer não fazer sentido nenhum.