January 18th, 2007

rosas

(no subject)

os passos da morte
- percorremo-los com denodo
até com certa volúpia,
nos absurdos funerais dos contemporâneos.

mas quem é morto:
a suave recordação que
vai a enterrar, ou o cadáver
dos sorrisos dos amigos que encontramos?