January 8th, 2007

rosas

purosexo.com?

A editora Bico de Pena tem uma colecção, Pena de Pavão, dedicada à literatura g&l, e na qual foram editados uma meia dúzia de títulos, se tanto: um livro de contos de um autor português (Pedro Gorski), o conto de Annie Prouxl que deu origem ao filme Brokeback Mountain. Teleny, um clássico da literatura homo-erótica atribuído a Oscar Wilde e mais um ou dois títulos que não recordo agora (a editora não tem site na net, o que sempre ajudava). A propósito de Teleny, foi o primeiro livro assumidamente homossexual que eu li, numa edição antiquíssima do Círculo de Leitores, e que marcou imenso, pela temática, pelo seu teor erótico, por ter sido o primeiro numa altura em que sobre a homossexualidade caía o manto espesso e pesado do tabu.
A Pena de Pavão editou recentemente um livro de Dennis Cooper, com o título traduzido de purosexo.com para o original The Sluts. Percebe-se a intenção da tradução, até porque corresponde ao teor do livro, e muito provavelmente não se conseguiria uma tradução para o título original que evitasse a brejeirice ou mesmo a grosseria.
E, como disse, o título em português tenta de alguma forma dar uma pista para o conteúdo do livro, que é um romance estruturado em volta dos sites da net de prostituição masculina, através das diversas formas de participação nesses sites: comentários de utilizadores, fóruns de conversa, e-mails. Esta escrita desgarrada e sempre muito indefinida serve bem o propósito do romance, que é lançar um olhar, cru e explícito, algures entre a repulsa e o fascínio, sobre o universo das fantasias sexuais masculinas (homossexuais), particularmente sobre as que têm uma forte carga de violência sexual, cujo extremo são os chamados snuff movies. Apesar das descrições excessivas e violentas, a lição do livro parece ser a de que o que se passa nesses tipos de sites não passa, quase sempre, de catarse e fantasia.
Não sei se isto é importante ou faz muito sentido, mas uma coisa que me passou pela cabeça repetidamente foi a justificação e o sentido da edição traduzida do livro. Quer dizer, não estou a sugerir que haja qualquer espécie de índex, nem sequer uma lista de títulos recomendados. O que me parece é que a disponibilidade de livros a que, de forma generalizada, se pode atribuir a categoria de g&l é tão vasta, que seria possível encontrar títulos mais significativos do ponto de vista dessa própria categoria (digamos que os clássicos da literatura g&l) e que pudessem ainda apelar a públicos mais vastos. Ok, a capa e o título do livro são apelativos, mas apenas para quem esteja à partida interessado em literatura gay e erótica, mas suponho que mesmo a maior parte desses leitores não sairá muito confortável da experiência de leitura deste livro, mais não seja porque, apesar de tudo, a homossexualidade é em Portugal um assunto ainda demasiado secreto, e nesse sentido pouco formada de um ponto de vista de cultura literária, para poder dar o valor devido ao radicalismo e à crueza do livro de Cooper.