?

Log in

No account? Create an account

balanço IV - livros
rosas
innersmile
Foram estes os livros que eu li em 2006.

Francisco Corrêa – Os Anjos de Gabriel
Frederico Lourenço – A Máquina do Arcanjo
João Paulo Borges Coelho – Índico Indícios – Meridião
João Paulo Borges Coelho – As Duas Sombras do Rio
João Paulo Borges Coelho – Crónica da Rua 513.2
Júlio Dinis – Uma Família Inglesa
Maria Velho da Costa e Armando Silva Carvalho – O Livro do Meio
Pedro Gorski – As Lágrimas de Bibi Zanussi
Sérgio Santana – O Monstro

Alberto de Lacerda – Oferenda II
Alberto de Lacerda – Átrio
Alberto de Lacerda – Horizonte
Ana Mafalda Leite – Livro das Encantações
Pedro Sena-Lino – Zona de Perda Livro de Albas

Caetano Veloso – O Mundo Não é Chato
Eugénio Lisboa – Crónica dos Anos da Peste
Ferreira Fernandes – Frases que Fizeram a História de Portugal
Golgona Anghel – Eis-me Acordado Muito Depois de Mim, Uma Biografia de Al Berto
José Gomes Ferreira – Dias Comuns I
José Gomes Ferreira – Dias Comuns IV
José Saramago – Pequenas Memórias
Manuela Gonzaga – António Variações, Entre Braga e Nova Iorque
Marcello Duarte Mathias – Diário da Índia
Sophia de Melo Breyner e Jorge de Sena – Correspondência
Tiago Torres da Silva – Timbó, Aventuras de um Português no Brasil

António Tabucchi – A Mulher de Porto Pim
Hubert Selby Jr. – A Ùltima Saída para Brooklyn
Isabel Allende – De Amor e de Sombra
Jim Grimsley – Pássaros de Inverno
Jim Grimsley – Como me Afoguei
J.M. Coetzee – Elizabeth Costello
Juan Ruolfo – Pedro Páramo
Richard Zimler – À Procura de Sana
Terenci Moix – Não Digas que Foi um Sonho

Augusten Burroughs – Magical Thinking: True Stories
Rosa Montero – A Louca da casa
William Naphy – Born to Be Gay

Em língua portuguesa o livro que mais gostei de ler este ano foi o de Maria Velho da Costa e Armando Silva Carvalho. Destaco ainda os três livros do João Paulo Borges Coelho, que é um dos meus escritores preferidos de língua portuguesa. Dois outros livros, na área da não-ficção, me comoveram e entusiasmaram particularmente, o da Correspondência trocada entre Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena, e as Aventuras de Um Português no Brasil, um livro de crónicas de Tiago Torres da Silva é que um verdadeiro diário de uma paixão, no caso por um país, por um povo, sobretudo por uma língua.

Em todo o caso, foram de autores estrangeiros os livros que mais me marcaram este ano, à cabeça A Mulher de Porto Pim, de António Tabucchi, que eu já tinha lido há muitos anos e que reli este ano numas férias e que me tornou a conquistar com o arrebatamento de um coup-de-foudre. Destaco ainda o livro de Rosa Montero, A Louca da Casa, um livro apaixonante sobre o amor pela literatura e pela escrita, e Magical Thinking, de Agusten Burroughs, um hilariante conjunto de pequenas histórias verdadeiras de um autor que alia uma razoável lucidez a uma paranóia significativa.