October 5th, 2006

rosas

encontros

Percorri hoje a pé, pelas ruazinhas quadriculadas do Bairro, o antigo caminho que eu fazia entre o liceu e a casa dos meus pais. Numa das pracetas, a que a eterna hesitação entre serem jardins frondosos ou alegres parques infantis condenou a uma vida de sombra e abandono, reparei que, ao invés de a atravessar em diagonal, como antigamente, a contornei pelos passeios estreitos.
E fiquei, ali à esquina de uma das ruas que desembocam na praceta, parado, mirando a erva desgastada desse caminho tantas vezes percorrido. À espera, percebi entretanto, de me ver a mim próprio, há quase trinta anos atrás, alto, cabeludo e magricela, a atravessar a praceta a caminho do liceu.