October 1st, 2006

rosas

as crianças & os que rastejam

Um espectáculo da companhia Camaleão reúne duas peças em um acto do norte-americano Russell Edson, escritas nos anos 70: As Crianças e Os Que Rastejam. Em cena estão famílias e as suas disfuncionalidades, num registo bem-humorado mas impiedoso e cáustico. Gostei muito dos textos, achei-os muito ricos, a permitirem várias leituras, o que é sempre um desafio enorme em se tratando de textos para teatro.
A encenação, de José Geraldo, ousa algum arrojo, ao optar por um registo caricatural que contrasta com as ‘piccolas’ tragédias que afligem as personagens e as submergem em existências conformadas e angustiadas. Na representação, dois actores que costumamos ver na Bonifrates, Fernando Taborda e Victor Torres, e ainda Helena Faria, Adelaide Seabra e Pedro Malacas.

Vale a pena salientar que a Escola da Noite tem novo espectáculo em cena, o que fez com que na noite de hoje os espectadores de teatro da cidade tivessem alternativas. Que bom!
rosas

(no subject)

Ainda não foi esta semana que consegui acordar antes de O Expresso se esgotar nos quiosques. Mas hoje consegui passar os olhos pela última edição e gostei bastante do novo formato e dos novos conteúdos.

Vinha n'O Expresso, creio que na secção Gente, e é uma daquelas histórias que si non è vero è bene trovato. Diz que Henrique Granadeiro, o patrão da PT, deu um almoço de acção de graças num monte alentejano, que foi um acontecimento social obrigatório. Álvaro Barreto, um dos presentes, terá perguntado a Belmiro de Azevedo se ele também ia, ao que o patrão da Sonae terá respondido: «Anda se fossem acções de graça». Genial, Sr. Engenheiro!