?

Log in

No account? Create an account

entre copa y copa
rosas
innersmile
O mundo é sempre mais vasto do que o nosso horizonte. E não estou a falar de geografia, antes quero referir aquele lugar comum de que quanto mais conhecemos, mais temos consciência de quão limitado é o nosso conhecimento.

Já tenho falado na Lila Downs aqui no livejournal. O último disco de Lila, La Cantina, Entre Copa y Copa é uma pequena, ou mesmo não tão pequena como isso, obra-prima. Sobretudo porque é um disco tão arreigado a uma forte componente tradicional, tão imbuída desse intenso perfume, que ganha asas e um carácter universal. O disco constrói-se, como o título indica, em volta do tema da bebida, particularmente da tequilla, e, na sua maior parte, pretende homenagear a chamada canção ranchera. Arranjos luxuriantes, vocalizações sempre muito vibráteis e surpreendentes, uma alternância entre um funky irresistível e baladas dolentes e melancólicas (o site da editora do disco evoca o fado, a propósito deste disco e da canção ranchera), fazem deste um daqueles discos non-stop.
Entretanto, a boa notícia é que Lila Downs vem este mês a Portugal, para dois concertos, no Porto e em Lisboa, a 18 e a 19. Claro que já tenho um bilhete para a Casa da Música que eu espero que se despenteie toda com a fúria latina da Lila.
La Cantina inclui 4 temas de José Alfredo Jiménez, um clássico da canção tradicional mexicana, de que eu nunca tinha ouvido falar. Uma pesquisa na web diz-nos que é um dos mais famosos mariachis, idolatrado como compositor e como intérprete. E realmente a avaliar pelas selecções que Lila Downs escolheu, são canções lindíssimas, ensopadas em sentimentalismo, com letras muito sofridas e desesperadas. Lila Downs agarra-as com o ponto certo de entrega e humor, um pouco como quem assume o lado teatral destas canções, e o leva muito a sério.
Escolhi para exemplo uma das minhas preferidas, Pa’ Todo El Año, onde está bem patente o tema das copas, mas onde sobressai esta ideia absolutamente fantástica, um verdadeiro achado: «se te forem contar que me viram muito borracho, orgulhosamente diz-lhes que é por ti». Caraças, dificilmente se pode encontrar com mais propriedade aquilo a que se chama música de dor de corno!

Por tu amor que tanto quiero y tanto extraño
Que me sirvan otra copa y muchas mas
Que me sirvan de una ves pa' todo el año
Que me pienso seriamente enborrachar.

Si te cuentan que me vieron muy borracho,
Orgullosamente diles que es por ti.
Porque yo tendre el valor de no negarlo
Gritare que por tu amor me estoy matando
Y sabran que por tus besos me perdi.

Para de hoy en adelante ya el amor no me interesa
Cantare por todo el mundo, mi dolor y mi tristesa.
Porque se que de este golpe ya no voy a levantarme
Y aunque yo no lo quisiera, voy a morirme de amor.
Tags: