January 28th, 2006

rosas

pride and prejudice

Nunca li o livro e não me lembro de ter visto nenhuma das anteriores adaptações para cinema ou televisão, e devo dizer que gostei bastante da adaptação que Joe Wrigth fez de Pride and Prejudice. Pelo menos fiquei com vontade de ler o livro da Jane Austen, o que eu acho que é sempre uma coisa notável na adaptação cinematográfica de uma obra literária, despertar a vontade de a conhecer.
Achei que o filme não tinha aquele peso muito formal das adaptações inglesas de clássicos da literatura, e que esse tom mais descontraído, mais naturalista, ajudava a dar verosimilhança à história. Mas isso não impede o filme de ter mantido elegância e humor, para o que muito ajuda a elevadíssima qualidade dos diálogos.
Elevado igualmente o nível das interpretações. Se as manas Bennet brilham todas com particular fulgor, mesmo as mais apagaditas, o destaque vai inteirinho para a Mrs. Bennet de Brenda Blethyn, que consegue o feito admirável de emprestar à personagem um tom caricatural sem perder um grama que seja de verdade e credibilidade. Destaque ainda para a passagem mais breve de Judi Dench; breve mas, como sempre, impressionante.