December 7th, 2005

rosas

alice de sassetti

Estou aqui a ouvir, em estado de absoluto encantamento, o cd de Bernardo Sassetti com a banda sonora de Alice, o filme de Marco Martins. Segundo cd com música de Sassetti em poucas semanas é realmente um bodo a todos os pobres fieis da igreja-sassettiana-de-todos-os-dias.
E que música. O cd organiza-se quase como uma suíte, encadeando momentos musicais com sons ambientais, desenvolvendo variações em torno de um tema recorrente que se apresenta quase como um mantra.
O resultado é muito especial. Por um lado, porque a música é extremamente evocativa do filme para que foi criada, conseguindo reconstituir o ambiente do filme, não tanto, ou não apenas, o seu ambiente imagético, urbano, o seu cromatismo, o próprio ritmo narrativo do filme, mas sobretudo porque recria o seu ambiente espiritual, esse estado de desesperada serenidade, de desamparo tranquilo, que sentimos na obstinada e solitária cruzada de Mário, a principal personagem do filme.
Mas, por outro lado, a banda sonora como que suplanta o próprio filme, é mais do que a sua banda sonora. É uma peça muito coerente e estruturada, que vale por si, mas que vale também, dado o seu extremo poder evocativo, como banda sonora de outros filmes, de outros sonhos, das ficções que formos capazes de construir com ela.