May 25th, 2005

rosas

sassetti: concerto

E vão dois: dois concertos de Bernardo Sassetti em meia dúzia de meses. E se mais houver, conto lá chegar.
Desta vez em trio, com Carlos Barreto no contrabaixo, e José Salgueiro, na bateria. Concerto muito diferente do Sassetti a solo, claro, menos intimista e lírico, mas de certa forma mais livre no sentido ‘jam session’ do termo. Quer dizer, é difícil haver um conceito de liberdade mais intenso do que o Sassetti sozinho em palco, dobrado sobre o piano, a levar-se a si e a nós atrás da pura harmonia, atrás de um sonho de um sonho. Mas nesta formação em trio, há uma liberdade mais festiva, mais celebratória, não sei. Enfim, qualquer coisa por aí.
Agora o homem é muito bom, aliás, são os três muito bons, os diálogos entre os três instrumentos eram sempre momentos altamente privilegiados, a forma como eles retomavam os motivos, os solos do contrabaixo do Carlos Barreto, foi um concerto excepcional. E depois os músicos de jazz são sempre muito, muitíssimo generosos, há ali uma disponibilidade que é feita de muito gozo, do prazer da partilha, que faz com que nos sintamos sempre muito envolvidos quando estamos a assistir a um concerto de jazz, é quase como se nós, o público, também fizéssemos parte da experiência musical.