November 8th, 2004

rosas

fado do coração

FADO DO CORAÇÃO

Sei que sou haste macia
Que no vento anda vazia
E a mais leve brisa quebra
Antes ser ramo partido
Do que alma sem sentido
Do teu coração de pedra

Passa o dia, passa a hora
Sem que me vá embora
Da cela em que me encerro
Grilheta estreita com zelo
Prendendo-me o tornozelo
Ao teu coração de ferro

Antes ser onda pequena
Que à praia morre serena
Sem dar aviso ou sinal
Do que ser grito que estala
O gelo em que me embala
Teu coração de cristal

Lavra o fogo ateado
Na floresta do meu fado
Destruindo a frágil árvore
Antes cinza de braseiro
Que o sono frio derradeiro
Do teu coração de mármore