August 31st, 2004

rosas

april, come she will

Fecha-se o portão de ferro do mês.
O final de Agosto é sempre como o final de um fim-de-semana que prometia mais do que o que deu. Como a madrugada que se segue a uma festa mal planeada. Como as flores que comprámos para oferecer a alguém e que murcham num frasco com água.
O final de Agosto tem o sabor amargo de uma segunda oportunidade que desperdiçámos, talvez porque estivemos demasiado excitados com a ideia de ter uma segunda oportunidade para a aproveitar deveras.
O dia 31 de Agosto é o oposto assimétrico do dia 1º de Abril. No primeiro dia de Abril, que ainda por cima é, em muitas sociedades, o dia das mentiras, tudo são promessas, tudo está por realizar. Tudo cabe nesse dia, em que o sol parece que efectivamente se demora mais um pouco no zénite. Mas no dia 31 de Agosto parece que tudo ficou já definitivamente para trás. Custa-nos olhar em frente, e por isso, entre miradas de soslaio discretamente para trás, preferimos fechar devagar os olhos, para descansar um pouco.
Estas últimas noites começaram mesmo a ser mais frescas, ou sou eu que me arrepio?