?

Log in

No account? Create an account

best for last
rosas
innersmile
Olha aí para o relógio. Devias estar já a dormir.

Cheguei a casa a tempo de ver a repetição na eurosport da final de saltos para a água plataforma de 10 metros. Grande decepção, claro, o Despatie ficou em quarto lugar, fora das medalhas. Mas os saltos, sobretudo nas duas últimas rondas, dos chineses e do australiano foram impecáveis, perfeitos. Nada a dizer, portanto.

Estive o dia todo fora, por isso perdi o grosso das notícias, mas ao ver assim de esguelha um noticiário (entre dois saltos) pareceu-me perceber que o governo português proibiu a passagem do navio holandês da organização Women on Waves pelas águas territoriais portuguesas. Se isto é assim, é chocante e grave, mas, infelizmente, muito pouco surpreendente. Temos no governo português gente tacanha, moralista, hipócrita. Gente que tem ou teve estilos de vida “levianos” ou mesmo “dissolutos” (entre aspas para realçar que não sou eu a lançar um olhar moral sobre esses estilos de vida), mas que ajoelham de olhos em alvo e língua de fora para a hóstia do moralismo público. E é grave porque tanto quanto sei essa organização não se prestava a realizar práticas que são consideradas crime pela lei portuguesa, mas sim advogar e argumentar a favor da descriminalização dessas práticas, debate que, de resto, move muitos milhares de portugueses. Ou seja, e em rigor, o único crime que essa organização praticou foi delito de opinião. No que, como digo, é acompanhada por muitos milhares de portugueses. Ora, os delitos de opinião são inconstitucionais. São ilegais!
Acredito fortemente na democracia portuguesa, apesar de ela ser tão recente e muito mal-tratada. Por isso, acredito que este recuo reaccionário e ultra-conservador é um ‘air du temp’ e que vai passar, já nas próximas eleições. Mas começa a ser um pouco nojento (já passámos a fase do embaraçoso) viver neste país miserável.
(Note-se que não usei a expressão ‘direita’ para classificar este governo. Sim, eu acho que o governo é de direita. Mas dizer que um governo é de direita não é ofensivo ou insultuoso; é ‘normal em democracia’, é assim mesmo, uns de nós são de direita, porque acreditam em determinadas coisas, e outros de nós são de esquerda porque acreditam noutras. São duas perspectivas e duas convicções, ambas válidas, até de um ponto de vista dialético. Por isso, não apelidei este governo de direita. Porque o que aqui está em causa não é ele ser de direita, mas sim reaccionário, conservador, moralista, retrógado, paroquial, autoritário).

A razão porque estive off o dia todo, é porque me meti no carro de manhãzinha cedo e fui para Sintra ver a minha afilhada, que está cá de férias com os pais. Ó caraças, ela é tão querida, tão maravilhosa, tão amorosa, tão dada, tão linda e tão simpática, que estou aqui todo dorido das saudade que vou ter (que já tenho) porque ela vai voltar para a Madeira e vou estar muito tempo sem a ver. Ó pá, a sério, snif snif. Ela é tão linda. Um dia destes quebro a regra de não por fotografias, e ponho aqui uma foto dela. Só para o pessoal se roer todo de inveja de não terem uma afilhada tão linda como a minha.