August 12th, 2004

rosas

deslizam nuvens brancas pelo céu

Deslizam nuvens brancas pelo céu
Azul, mas para onde vão não dizes
Como passam as tardes sob o véu
Da lembrança doutros dias mais felizes

Hora a hora foge lento este clarão
Dum fulgor adormecido pela preguiça
E de outros desejos sem notícia
Nada resta, como rosa sem botão

É o mês que te transporta, como barco
Não te leva nem te traz, só te carrega
Desenhando no vagar do dia um arco
Sem sede insaciável, sem entrega

Vai secando a buganvília na paisagem
Varrem versos na secura duma aragem