?

Log in

No account? Create an account

who cares
rosas
innersmile
De regresso ao innersmile, no dia em que faz três anos que o inaugurei! O brave new world está a ficar velho, é o que é! Acho que este ano que passou foi aquele em que o innersmile sofreu mais crises, ainda que silenciosas. Nunca estive tão perto, e tantas vezes, de o fechar e eventualmente ir abrir banca noutro sítio qualquer. Consegui ir resistindo a essa tentação, mais por preguiça, mais por inércia, do que por outra razão qualquer. Eu agora devia desenvolver mais a questão das razões pelas quais senti tantas vezes vontade de acabar com o innersmile, mas como sabiamente comentou um anónimo na última entrada, ainda que a propósito de um tema completamente diferente e muito mais importante, «who cares»?
Ora, é precisamente esse gozo de ir perguntando quotidianamente «who cares?» que vai mantendo vivo o innersmile.

Cheguei ontem à noite de uma tentativa de passar três ou quatro dias a apanhar sol. E a notícia triste é que vim doente, muito constipado, com sinusite. Talvez tenha a ver com o facto de ter nadado todos os dias numa piscina (olímpica) deliciosa mas que cheirava a desinfectante que tresandava, a que se seguiram idas à praia onde tomei revigorantes banhos geladíssimos no único sítio de Portugal onde estava um nevoeiro cerrado junto ao mar, apesar de o sol vibrar tórrido duas ruas paralelas à marginal.
Ou então foi apenas uma reacção somática ao facto de ter dado 26 euros por um dvd que anunciava na capa dois discos, sendo um deles carregadinho de extras, para descobrir, quando abri a caixa, que só lá vinha um disco e quase nada de extras. Um rapaz muito simpático atendeu-me ao telefone e pediu-me para passar lá na loja que eles trocam. Ou seja, tenho um mês para ir ao Porto trocar o dvd!

Como nem tudo é mau, comprei o 'La Llorona', da Lhasa. É fantástico, mas senti a falta daquele aspecto errante do 'The Living Road'.
E como, apesar de tudo, há coisas mesmo boas, os bilhetes para o concerto da Madonna foram postos à venda às dez da manhã, e às onze eu já tinha um! Ó iéce, like a virgin.

Mas, como dizia o outro, «who cares»?