July 18th, 2004

rosas

em jogo. viardo

‘EM JOGO / ON SIDE’, título de exposição no Centro de Artes Visuais, produção do CAV e do Instituto das Artes. A arte (visual) a olhar para o futebol, e a tentar ler (um)a dimensão artística no chamado desporto-rei. Tarefa um pouco ingrata, porque o futebol existe um pouco do lado de fora do mundo, e a arte, por definição, olha para o mundo. E a exposição ressente-se um pouco dessa dificuldade. Muito bem montada, talvez das exposições mais marcantes em termos de utilização do espaço das que ocorreram no CAV, parece-me contudo que traz poucas linhas de reflexão, que se traduz, apesar de tudo, em mais olhares que leituras. Na minha opinião, as obras mais interessantes ainda são as que menos interferem na captação das imagens do futebol, as que nos devolvem de modo menos tocado o visual do futebol, porque são essas que representam com maior pureza o futebol como actividade humana. Gostei muito da bola de futebol do Jeff Koons, mas isso sobretudo porque Koons sempre se esforça por nos demonstrar como é perfeito o pequeno mundo das nossas trivialidades. Destaco ainda uma fotografia de Gabriel Orozco com uma bola furada, e o video de Stephen Dean, Volta, que capta de modo espantoso e abstracto o movimento massivo das claques dos desafios de futebol.

Ontem à noite, no TAGV, um recital de piano de Vladimir Viardo, integrado no Festival Internacional de Música de Coimbra. Obras de Rachmaninov, Prokofiev, Liszt e Brahms. Gostei muito, sobretudo das peças de Rachmaninov, que é sempre uma torrente de emoções, e que o pianista russo interpretou com entrega e sentimento, e das Funerailles, de Liszt. Viardo fez um encore com uma peça lindíssima e muito conhecida (dos filmes?), mas que eu desconheço o autor e o título. Se aí estiver alguém que esteve no Gil Vicente ontem à noite, pode dar uma ajudinha.