July 10th, 2004

rosas

(no subject)

Um dia triste para a esquerda, que foi traída por uma decisão formalista e medrosa de um Presidente da República que ajudou a eleger duas vezes. O PR preferiu tomar a decisão que lhe pareceu mais conformada ao statu quo e mais submetida à partidocracia, em vez da que, acredito que até na sua opinião, seria mais clarificadora e legitimadora do sistema político. Não se percebe em nome de quê, nem de que é que ele teve medo. E não adianta reclamar-se de polícia: não só está de saída, como se suicidou politicamente.

Apreciei a atitude de Ferro Rodrigues. Percebe-se, neste bater com a porta, aquilo que fez dele um líder tenaz e resistente: o facto de se mover por princípios e valores, e não pela jogatana da estratégia politico-partidária. Muita honra e respeito para um dos homens sérios da política nacional. Espero que o PS encontre, não tanto um bom líder, mas sobretudo o homem que seja capaz de ser um bom primeiro-ministro daqui a dois anos.

Temo que a nível local aumente o poder arrogante e arbitrário dos caciques provincianos, agora que chega à chefia do governo o príncipe das bases.

~*~

A nível pessoal, hoje foi um dia triste. Ao cair da tarde, um sonho desfez-se, literalmente, nas minhas mãos.
Respiro fundo para ver se a ressaca do desânimo passa depressa. Se passa depressa a vontade de apagar as luzes e fechar a porta atrás de mim.