June 18th, 2004

rosas

notícias de pequenópolis ix

Em Pequenópolis, só havia discos de 45 rpm, que foram substituídos por mini-discs. O grupo favorito dos habitantes de Pequenópolis são os Pequenos Cantores de Viena. E no primeiro lugar do top de preferências está a composição Eine Kleine Nachtmusik.
rosas

(no subject)

O dia até estava a correr bem, mas agora fiquei chateado. Não consigo explicar bem porquê, e não quero entrar em detalhes, mas hoje, acho que pela primeira vez, senti-me magoado com a incompetência alheia. Alguém fez uma asneira do caraças, daquelas grandes. Houve alguns olhos a olhar para aquilo e ninguém deu por ela. Eu vi aquilo meio clandestinamente e topei logo a asneira. E não foi assim muito mérito meu, é que a asneira era tão grande e óbvia que até parece que pulsava! Chamei a atenção do erro a quem mo mostrou às escondidas, que foi a correr chamar a atenção de alguém que foi a correr chamar a atenção de alguém que foi a correr chamar a atenção de um dos autores da asneira, para ser corrigida. Agora estou um bocado irritado, porque me apetecia que os pais da asneira soubessem que tinha sido eu a dar por ela. Mas na altura só senti uma tremenda (e um pouco perturbadora e estranha) vontade de chorar: senti-me deveras magoado, por haver quem consiga ser tão incompetente que cometa um erro daqueles, e por essas pessoas agora mandarem em mim e até se darem ao luxo de me tratar com alguma sobranceria. Isto vai morrer por aqui, corrige-se e está a andar, mas isso também me deixa revoltado. Mas o que é curioso é que, agora que eu até já andava mais conformado e adaptado a este novo modus vivendi, fiquei tão magoado com esta cena. Assim mesmo sentido, a doer-me a incompetência esta gente.
Esta merda desta entrada está umbiguista e até aquela coisa de vir para aqui choramingar e tal, mas it’s my party and I cry if I want to. E pronto, siga lá a porra da festa.