?

Log in

No account? Create an account

nothing comes from nothing
rosas
innersmile
O Sound of Music é um dos meus filmes preferidos.
Acho que, sobretudo, porque num sítio qualquer do meu subconsciente, o filme está ligado à noção de uma infância feliz. Talvez porque a primeira vez que o vi, no Cine-Teatro Almeida Garret, em Nampula, foi com a minha tia, que eu adoro, e o entusiasmo dela, que naturalmente já tinha visto o filme algumas vezes (ela é desse género: quando gosta de um filme é capaz de o ver repetidamente, até à exaustão), era contagiante.
Mas haverá outras razões, passe o pleonasmo, mais racionais para eu gostar do filme, e uma delas é a música maravilhosa da dupla Richard Rodgers / Oscar Hammerstein II. Para além dos temas mais orquestrais e das canções mais conhecidas e ‘infantis’ como o Do-Re-Mi ou o Lonely Goathered, a banda sonora de Sound of Music deu-me uma das minhas canções preferidas de sempre, a My Favourite Things, que conheço em variadíssimas versões (assim de cabeça lembro-me da do Al Jarreau, da Bjork no Dancing In The Dark e uma excelente da ‘nossa’ Maria João), sendo a minha favorita, como acho que já escrevi por aqui, a versão sublime do John Coltrane.
Mas, apesar de gostar muito da música do filme, ainda havia uma coisa que me tinha passado despercebido, e que o Caetano Veloso (o que eu devo a este gajo, porra!) se encarregou de recuperar e de ma pôr no caminho. Estou a falar de ‘Something Good’, que no filme o Capitão e a Maria cantam juntos no coreto do jardim quando descobrem que estão apaixonados um pelo outro e trocam púdicos beijos à luz do luar (digo eu, claro, que lembro-me lá se estava lua cheia ou não), e que Caetano, num arranjo simples de guitarra, revela em toda a sua beleza. Como não posso pôr o estupor do innersmile a tocar música, fica só a letra, aliás já ela um primor de simplicidade e beleza, a provar que as coisas mais simples são, ainda que as mais difíceis de alcançar, as mais bonitas de todas.

Perhaps I had a wicked childhood
Perhaps I had a miserable youth
But somewhere in my wicked miserable past
I must have had a moment of truth

For here you are
Standing there
Loving me

Whether or not you should

So somewhere in my youth
Or childhood
I must have done something good

Nothing comes from nothing
Nothing ever could
So somewhere in my youth or childhood
I must have done something good