September 19th, 2003

rosas

ah leão

Concerto de Rodrigo Leão, quarta-feira, no TAGV. O RL contou que este concerto, o antepenúltimo de uma digressão que começou em Junho (os dois últimos, hoje e amanhã, em Lisboa), foi o primeiro a esgotar. Ainda bem, porque o concerto mereceu casa cheia (e ainda mal por causa das irritantes palminhas a compasso).
O RL tem uma das mais interessantes e sérias carreiras musicais no nosso país. Tem um passado 'de luxe' e teve a coragem de romper com esse passado para apostar tudo numa carreira a solo numa área onde o sucesso não era, à partida, muito garantido. Claro que tem feito alguns compromissos e isso foi evidente no concerto, mas o RL é um músico popular (mesmo quando disfarça e não parece) e por isso é natural o compromisso com o público e, até, com um certo gosto dominante. E se é verdade que esta mistura de música electrónica com uns pózinhos de world e uma piscadela de olho ao pop é um dos géneros de crescente padrão de consumo, também é verdade que é um terreno onde tem de se ser muito bom para marcar a diferença e estabelecer um nome que sobressaia do ruído de fundo da chamada música de elevador (ou de genérico de documentário televisivo). E o RL tem-no conseguido, cá dentro e lá fora.
rosas

R&J

Love goes toward love, as schoolboys from their books;
But love from love, toward school with heavy looks.

- W. Shakespeare, Romeo and Juliet

Esta frase é da segunda cena do segundo acto de Romeu e Julieta, aquela em que decorre o primeiro encontro de varanda entre os amaldiçoados amantes de Verona (é também nesta cena que Julieta pronuncia a famosa tirada 'What’s in a name? that which we call a rose /By any other name would smell as sweet', afirmando que o seu amor por Romeu não é afectado pelo facto de ele ser um Montague, ou Montecchio) e dá conta do que custa a Romeu despedir-se da sua amada. É um verso complexo, em que o sentido do que se quer dizer é sempre reforçado por ideias de sentido contrário: o amor corre para o amor como os rapazes fogem dos seus livros de estudo, mas o amor afasta-se do amor com o ar pesado dos rapazes que vão para a escola!

De certa forma, esta frase constitui também um elo de ligação entre o texto de Shakespeare e a peça 'Shakespeare's R&J' que Joe Calarco adaptou, e dirigiu, a partir do texto original. Penso que não foi o caso, mas poderia muito bem ter sido essa frase o ponto de partida para esta adptação. E, no que me diz respeito, desconfio que será dela que me hei-de lembrar a propósito desse espectáculo, ou, com efeito, a propósto até desta peça de Shakespeare.

A peça, ou melhor, esta sua produção londrina, tem um site oficial interessante e informativo.
O Independent, na sua edição de hoje, considera-a uma das cinco melhores peças (a segunda, na realidade) que estão actualmente em cartaz em Londres!

[Já agora, se alguém for a Londres até Novembro, pode-me fazer o obséquio de ir ao Arts Theatre - fica mesmo ao pé de Leicester Sq, não dá muito trabalho, e comprar-me o livrinho com o texto da adaptação? Ficarei muito grato]