?

Log in

No account? Create an account

(no subject)
rosas
innersmile
Cada vez simpatizo mais com o PCP. Apesar da falência ideológica do partido e da sua ortodoxia fossilizada, há uma honestidade neste partido e nos seus membros que é rara na classe política. Um deputado do PCP foi o único de um grupo de trinta que foram à final do FCPorto em Sevilha, a convite do Pinto da Costa, a assumir a injustificação da sua falta ao Parlamento nessa quarta-feira. Todos os outros alegam que estavam em trabalho político e em actividades de representação nacional enquanto engoliam umas bejecas e trincavam uns coiratos a ver, sabe-se lá com que sacrifício, a tal finalzita. A polémica tem sido fértil em comentários, mas é um daqueles casos em que o ridículo da situação e a manhosice dos deputados é tão evidente que o único comentário razoável é mesmo mandá-los para o caralho. Bem pode o Presidente da República pregar pela honorabilidade da classe política! Talvez o levássemos mais a sério se ele começasse por chamar estes deputados, os lideres dos grupos parlamentares em questão e o Presidente da AR e lhes recomendasse que não fizessem, em nome da decência e do respeito que os políticos merecem, trafulhices deste calibre.

Ontem no Expresso a notícia de que o organismo do Estado que atribui as ordens honoríficas tinha decidido dar uma ordem qualquer a um ex-PIDE! E que tinha recusado, por deficiente fundamentação, uma distinção ao moçambicano José Craveirinha, um dos maiores poetas de lingua portuguesa do século passado!!!

Curiosamente, nas duas notícias aparecia o nome do deputado socialista José Lelo. Nesta história das ordens, ele foi um dos proponentes do nome do ex-PIDE quando foi secretário de estado do governo Guterres. Na história da final de Sevilha, o deputado apareceu na TV a dizer, com indasfçado ar de gozo, a dizer que tinha ido à final porque era deputado pelo circulo da emigração e que toda a gente sabe que ele é adepto do Boavista. Que desfaçatez. Estes cabrões não têm vergonha nenhuma no focinho. Este mesmo José Lelo criticou a participação do PS no Forum Social Português por achar que o PS não se deve misturar (se a expressão não foi esta, foi parecida) com grupos de gays, lésbicas, bissexuais e transgenders. O que lhe fez impressão não foram todos os outros grupos e associações que participaram, a questão da eventual liderança partidária do movimento, nem o facto de o Boaventura ser um chato! Não, o que o maçou foram as associações LGBT. Estes gajos não aprendem: estão sentados na varanda a ver a casa do vizinho a arder e fazem de conta que não sabem que o quintal deles também já pegou fogo.