June 18th, 2003

rosas

canção de engate

"Ajoelho-me perante ti, ó soberana. Serás deusa ou mulher?
Se és uma das deusas, das que o vasto céu detêm,
é a Ártemis, à filha do grande Zeus, que mais aproximadamente
te assemelho, pela beleza, pelas proporções e pela altura.
Mas se és uma mulher mortal, das que na terra habitam,
três vezes bem aventurados são teu pai e tua excelsa mãe;
três vezes bem aventurados os teus irmãos! Será constante
a alegria que no seu coração eles sentem por tua causa,
quando vêem um caule florido como tu a entrar na dança.
Por sua vez é mais bem aventurado de todos aquele homem,
que com os presentes nupciais te levar para sua casa.
Nunca com os olhos vi outra criatura mortal como tu,
homem ou mulher: é reverência que sinto quando olho para ti."


Assim começa Ulisses por se dirigir a Nausícaa de alvos braços, no encontro preparado por Atena, a deusa dos olhos garços, quando o homem astuto, sobrevivendo ao naufrágio provocado pela cólera de Posídon, o Sacudidor da Terra, foi cair exausto a uma praia de Esquéria.
Sabiam-na toda, os gregos! Mas também não admira: Nausícaa é doce e bela como um verso de Homero.
rosas

belo

Um dia destes, esta entrada fez-me lembrar um poema do Ruy Belo. Chama-se EU VINHA PARA A VIDA E DÃO-ME DIAS, e aí fica para assombro de todos, mas em especial da _grace_.

Eu vinha para a vida e dão-me dias
Reduzida ao relógio a aventura
eu próprio me despeço da lonjura
e troco por desastres alegrias

Se não cabiam nestas freguesias
os gestos que trazia agora à lura
mal assoma limito a desmesura
e cantam rouxinóis não cotovias

E digo "senhorio" "procurador"
quando quero falar da minha casa
o templo onde habita o senhor

Não pode o homem ser aquele que é
mesmo que pra voar distenda a asa
ou seja natural de nazaré