?

Log in

No account? Create an account

(no subject)
rosas
innersmile
O teu corpo é agora a memória dolorosa de outro corpo que foi. E as tuas pernas, que outrora suportavam o meu mundo, são agora como juncos vergados pelo tempo e pelo vento. E mesmo apesar de o teu sorriso ser agora a sombra suave da gargalhada que enchia o dia e os quartos, todavia permaneces intacta. O oiro que brilha nos teus dedos, e cintila como um coração vertiginoso, é ainda o que dá luz ao sol e aquece as manhãs de todos os meses. A tua paz é ainda a tua paz, indestrutível como a tua vontade de me nasceres todas as vezes. E o teu conforto é a única certeza que permanece, o derradeiro patamar que afasta a aflição e o medo.

Só posso aguardar, com serenidade e até com uma ponta de cruel antecipação, a pavorosa hora em que me vais deixar entregue à chuva solitária, desfeito o laço que ainda me vai prendendo a um destino solar.