April 24th, 2003

rosas

quando seco estiver já o rio das palavras

Quando seco estiver já o rio das palavras
em ondas chegarão ainda
as vastas praças salgadas
onde o azul vai morrer todas as horas

E entre o chão miúdo da savana
e as nuvens suspensas num céu infinito

haverá ainda um vazio imenso e maciço
que te fará parar na berma do caminho
para o tocares com os olhos e os dedos

Consolar-te-á então
a ilusão de que poderás trazer
intacto
o tempo para casa