?

Log in

No account? Create an account

olhos de cão
rosas
innersmile
"Ontem o meu irmão levou-me de carro até ao comboio e quando tirei a mala do porta-bagagens ele perguntou-me se estava bem. É pena eu ser um cobarde. Antes queria contar-lhe tudo, mas calei-me a dizer que não, que estava tudo bem. Não lhe disse que tem um irmão que é um paneleiro de merda. Não, não lhe disse.
Não lhe disse que tenho medo, que estou cheio de medo e que até estou com medo de escrever isto aqui e agora (Vou rasgar isto tudo quando acabar)"

"- Sei lá, não sei, mas não gosto lá muito que ele seja assim tão... não sei, olha, eu sei que vais achar isto estúpido, mas eu não gosto que ele seja assim tão afectado como ele às vezes é... que seja tão... bem... tão maricas.
- Eu acho que tu tens é medo que as pessoas te possam ver como tu o vês a ele."


- Daniel J. Skramesto


Às vezes a literatura é cruel na maneira como devolve um rosto, como se fosse um espelho que, por ser deformado como os espelhos de feira, seja a reflexão perfeita desse outro rosto que o espreita

da loja - cavafy
rosas
innersmile
Para a janara, com um beijo de aniversário, aqui fica Da Loja, um poema de CONSTANTINO CAVAFY:

Embrulhou-as com cuidado, ordenadamente
na seda verde excelente.

Lírios de pérolas, rosas de rubis,
violetas de ametista. Tais como ele as quis,

as apreciou, as viu belas; não como na natureza há
as viu e as estudou. Dentro do cofre as deixará,

amostra do seu trabalho eficaz e sem temor.
Se na loja entrar um qualquer comprador

tira outras dos estojos e vende - jóias singulares -
pulseiras, anéis, cordões e colares.