April 8th, 2003

rosas

agora és tu que te revelas

Agora és tu que te revelas
(e estendes e desdobras e seduzes)
e assinalas o tranquilo e transitório
horizonte dos meus dias,
dos meus olhos

Ó Ilha orgulhosa e devastada
efémero epicentro da distância,
Outra vez te abandonou quem te buscava
em ti permanecendo na ausência

Nossa Senhora do Baluarte:
não guardes quem na tua praia entrou,
Vela antes a ossada ressequida
do derradeiro olhar que se voltou.