?

Log in

No account? Create an account

perdas
rosas
innersmile
Há coisas que as pessoas nos dão e que nunca mais as perdemos. A mim, quem me deu a Maria do Rorário Pedreira, foi a Ana, aqui no LJ. Eu penso que ela já não vem aqui a este lugar, mas vamos telegráficamente sabendo um do outro através de raros, mas sentidos, mails e sms's. Ontem comprei um romance da MRP, Alguns Homens, Duas Mulheres e Eu. E foi logo da Ana que me lembrei, e é ela que me tem acompanhado na leitura do livro.

Descobri hoje que o meu pai perdeu o MEU bilhete de identidade, há 8 dias! Quer dizer, ele também só descobriu hoje que nunca mais se tinha lembrado do BI. Há uma remota hipótese de ter ficado nos correios, quando eu pedi ao meu pai para me ir levantar uma carta registada, faz amanhã uma semana. Ou seja, parte dos três dias úteis que me restam antes de ir de férias ainda vão ter de ser ocupados a pedir um novo BI.
Mas o pior é que arrasei os meus pais. Passei-me completamente e caí em cima dele. Muito provavelmente, este episódio só vem confirmar, again, que ele está a ficar muito velhinho (faz-me impressão utilizar a palavra 'senil'), e eu não sei se:
a) me zanguei com ele por não prestar muita atenção quando trata de assuntos dos outros (ao contrário de quando estão em causa assuntos dele, em que tudo obedece a um plano e a uma estratégia milimétrica),
b) me zanguei com ele por ele estar a ficar velho,
c) me zanguei comigo por estar sempre a contar com a ajuda dele quando já devia saber que ele começa a ter falhas operacionais,
d) me zanguei com a vida por estas merdas acontecerem nas piores alturas possíveis (pois!, a Lei de Murphy, ou de outro cabrão qualquer), por o meu pai estar a ficar "demasiado" velho, por me sentir cada vez mais sozinho, porque me lembro de quando tomavam conta de mim e agora tenho eu de tomar conta de mim, deles e de mais este carrocel todo, por... por... por...
A merda é que me zanguei e agora estou naquele estado fodido em que por um lado ainda estou zangado e por outro já estou cheio de remorsos.

Vou aproveitar estar de muito mau-humor, para fazer um pequeno comentário a alguns comentários que os meus friends puseram na entrada de ontem!
Aqui há uns anos valentes, pouco tempo depois de eu próprio ter estado doente, a mãe de uma grande amiga minha teve um cancro na mama fulminante. Quando estava já na fase terminal, a morfinas para aguentar a dor, teve uma conversa com a minha amiga para a consolar do facto de ir em breve ficar sem mãe. E disse-lhe que estivesse descansada que o tempo se ia encarregar de suavisar as feridas, e que a minha amiga, a irmã e o pai delas iam sofrer mas que a vida deles se havia de recompor. O que verdadeiramente a preocupava não era a vida daqueles a quem ela mais queria, mas a sua própria vida, essa sim, é que ia acabar e não havia nada a fazer. E isso era a única coisa que a angustiava e que a fazia sofrer muito!
As pessoas de quem eu mais gosto são os meus pais, e eu, afundado como estou num poço de solidão e egocentrismo, não sei como vou sobreviver à sua perda, nomeadamente à perda da minha mãe, que é a única pessoa que me faz senti que eu não ando só pelo mundo. Mas suponho, pelo menos visto daqui, que vou conseguir sobreviver de uma forma qualquer. Agora a porra!, como dizia a mãe da minha amiga, é como raio é que eu vou sobreviver à minha própria mortalidade. Essa é que me fode completamente o juizo!
E estar a envelhecer só é mau porque nos lembramos de que vai haver um fim, e de que cada dia que passa esse fim está mais certo (apesar de não necessariamente mais próximo, caro). O que é bom em ter-se um corpo novo, não é o facto de ele ser bonito ou aguentar bem as ressacas!. Não, o bom de ter um corpo jovem é que nunca nos passa pela cabeça que o estupor vai-se degradar e, eventualmente, entrar em colapso funcional. Agora as rugas, os cabelos brancos, as entradas, a pele a perder o viço, isso não tem grande importância, porque, afinal, são só os sintomas!

Como se vê, isto hoje foi um dia brilhante. Ainda bem que o ano está a acabar, e que vem aí um ano novinho em folha para a gente estragar, e que o meu aninho novo vai começar com férias na terra onde nasci, e já de hoje a uma semana..