October 14th, 2002

rosas

My Big Fat Greek Wedding

É engraçado, mas estes filmes tipo My Big Fat Greek Wedding são realmente irresistíveis. A verdade é que há neles uma certa genuinidade, nota-se, mesmo que de uma forma não muito racionalizada, que foram filmes que nasceram do impulso de contar uma história, e não de uma reunião de executivos de uma grande produtora de Hollywood. Mas este filme de Joel Zwick (não, não sei quem é, é mesmo só para dar aspecto de que sou um tipo muito informado) tem ainda outras coisas a seu favor: é simpático, não ofende, diverte. Ou seja, oferece muito mais do que 99% dos programas de televisão, e, por isso, é sempre uma boa alternativa a ficar em casa a fazer puré de batata no sofá. Nem de propósito, “Viram-se Gregos Para Casar” não passa de um produto mais aproximado do tele-filme, e essa falta de ambição narrativa prende-o sempre rasinho ao solo. Mas que tem isso? Não é simpático? Não é divertido? Não é rápido e despachado? Então pronto.

Uma destas noites, no GNT, o programa Altas Horas apresentou Caetano Veloso e Jorge Mautner a serem entrevistados (pelo apresentador do programa e por membros da audiência adolescente) e a cantarem. O pretexto era um álbum recente que a parceria editou, “Não Peço Desculpa”. Fui pesquisar na net, e o disco foi lançado em finais de Agosto, no Brasil. Entretanto, o Y noticiou (na capa) o mais recente da Adriana Calcanhotto. Ontem, na discoteca onde me costumo abastecer, não havia nenhum deles e, pior, o tipo, que até costuma ser bem informado, desconhecia que havia novidades do Caetano e da Adriana. Que, por mero acaso, são dois nomes seguríssimos no mercado discográfico. Para quando a Amazon.com.br para a gente não ter de ficar aqui a estiolar? (estiolar, não!, digamos antes outonar....)