?

Log in

No account? Create an account

discos da vida
rosas
innersmile
Claro que as entradas dos livejournaleiros retorta e livinginabox sobre os discos que foram importantes nas vidas deles, também me puseram a pensar nos discos que ficaram marcados na minha. E é curioso que os discos que me vieram à cabeça foram aqueles que eu ouvi numa altura em que comprava pouquíssimos discos, tinha muito tempo livre, e por isso passava dias (e noites) inteiros, deitado no sofá, de auscultadores postos, a ouvir o mesmo disco vezes e vezes seguidas. São aqueles discos em que eu conseguia memorializar as letras, os arranjos, até os ruídos de frigideira do vinil. Alguns desses discos eram meus, outros eram emprestados. Alguns comprei, outros troquei. O Bridge Over Troubled Water, que troquei acho que por uma bicicleta (devia ter 13 ou 14 anos), e que é o meu primeiro disco oficial (e que foi a minha primeira e principal escola de lingua inglesa). O Bicho, do Caetano. O RadioActivity, dos Kraftwerk. O Pano Crú, do Sérgio Godinho (ourto que tambem obtive por troca... bendita economia directa!). O Eito Fora, da Brigada Victor Jara, que eu e o Nuno cantávamos todo enquanto faziamos piscinas na Ferreira Borges. O Even In The Quietest Moments, dos Supertramp, que eu anhei num concurso da Música$Som. O Bat Out Of Hell, que era do Zé Henrique, mas passava tanto tempo em minha casa que acabou por lá ficar. O Hoje Há Conquilhas, da Banda do Casaco. O Qualquer Coisa P'a Música do Palma. O Meus Caros Amigos do Chico Buarque.
Se bem me lembro, todos estes foram alguns dos discos que eu ouvi até aos 16/18 anos, quando comecei a ouvir, com algum método e determinação, outro tipo de coisas, nomeadamente as sucessivas vagas de música inglesa que, por essa altura, marcavam as novidades em termos de música moderna. Não são, ou nem todos são, aqueles que eu consideraria os discos de que mais gostei, aqueles que eu poria numa lista dos melhores discos que eu já ouvi! Mas, de alguma forma, os discos que foram importantes na minha vida, foram esses, os que eu ouvi antes de começar a ter a mania que ouvia e percebia de música.
Foram esses discos que me vieram de imediato à cabeça quando me perguntei quais seriam os discos mais importantes na minha vida. E é interessante, porque agora, ao lembrar-me deles, tenho a impressão de que é neles que está a matriz dos gostos musicais que ainda hoje me acompanham.
Tags: