June 9th, 2002

rosas

a beleza cai

Raras vezes, na predadora calmaria dos dias, a beleza cai diante de ti com a lisura luminosa de uma lâmina. Os braços nús, e o rosto perfeito como se fosse o primeiro. Indefeso e agónico, desvias outra vez os olhos, como sempre que a morte te fita.