December 31st, 2001

rosas

filmes 2001

Com a ajuda da lista de filmes deste site (longe vão os tempos em que os meus registos cinematográficos eram de confiança; da memória, então, é bom nem falar), elaborei a minha habitual lista dos melhores filmes do ano, e que, por ordem decrescente, é a seguinte:
1 - O Tigre e o Dragão, de Ang Lee
2 - AI - Inteligência Artificial, de Steven Spielberg
3 - Yi Yi, de Edward Yang
4 - A Pianista, de Michael Haneke
5 - Pollock, de Ed Harris
6 - Podes Contar Comigo, de Kenneth Lonergan
7 - O Fabuloso Destino de Amelie, de Jean-Pierre Jeunet
8 - Billy Elliot, de Stephen Daldry
9 - O Planeta dos Macacos, de Tim Burton
10 - O Senhor dos Aneis, de Peter Jackson
Há ainda uma short list de que fazem parte os seguintes filmes:
American Psycho, de Mary Harron
Antes que Anoiteça, de Julian Schnabel
Descobrir Forrester, de Gus van Sant
O Alfaiate do Panamá, de John Boorman
Quase Famosos, de Cameron Crowe
Shrek, de Andrew Adamson e Vicky Jenson
Traffic - Ninguém Sai Ileso, de Steven Sodeberg
Wonder Boys - Prodígios, de Curtis Hanson
O Mark Ruffalo (Podes Contar Comigo) e LaHuppert (A Pianista) foram as presenças no écranque mais me impressionaram. Mas também provocaram arrepios a Michelle Yeoh (O Tigre e o Dragão), o Ed Harris (Pollock), a Laura Linney (Podes Contar Comigo), a Audrey Tautou (Amelie Poulain), o Christian Bale (American Psycho) e o Javier Bardem (Antes que Anoiteça).
Três notas negativas:
1 - o ano passado, a minha lista dos 10 Melhores tinha 3 filmes portugueses; a deste ano, nem um. Vi poucos filmes portugueses, e os que vi não me impressionaram;
2 - de uma forma geral, tenho a impressão de que foi um mau ano cinematográfico, sem filmes muito marcantes, daqueles que entram directamente para a nossa gleria de all time favourites. A ser criado um prémio para o pior filme do ano, ele iria para o execrável Pearl Harbor, um inenarrável pastelão completamente desprovido de uma ideia de cinema e de qualquer intenção narrativa;
3 - os cinemas Avenida de Coimbra insistem em programar uma impensável sessão às 19,00 horas de 3 dias da semana, com repetição, salvo erro, à meia-noite. Acho que nunca consegui disponibilidade para assistir a uma dessas sessões. Acontece que alguns dos filmes mais interessantes que correm por aí, aqueles de cinematografias menos agressivas comercialmente, passam exactamente nessas sessões (já mandei mails a protestar, mas nem respondem). Daí que a minha escolha dos 10 melhores filmes poder ser completamente outra, não fosse o caso de haver uma empresa proprietária de salas de cinema de Coimbra que entende privar alguns espectadores de alguns dos filmes mais interessantes da sua carteira, pela simples e prosaica razão de achar que esses filmes não são comercialmente rentáveis! Toma!, já desabafei.