October 29th, 2001

rosas

o que te toca

O que te toca
quando fores só carne, seiva, musgo.
Quando a imponderabilidade do gesto
te abandonar
e, abandonado,
não fores mais que escama brilhante
que declinas
gota a gota.