miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

Ontem as viagens de automóvel foram sempre ao som de Como Sempre... Como Dantes, do Camané. Já aqui falei deste magnífico disco ao vivo, por isso não vale a pena ‘chover no molhado’. Mas é preciso dar conta, as vezes que forem precisas, desse momento de arrepio e comoção que é o Fado da Sina, particularmente quando a voz de Camané atravessa o silêncio para dizer: “E cuja luz / Aos pés da cruz / Já se apagou // Não podes fugir.”.

A minha mãe realçou o importante nas diferenças entre a versão de Camané e a da Hermínia Silva. Enquanto a da Hermínia é fria, cortante, metálica, a do Camané é quente e sofrida. Ou seja, enquanto Hermínia canta o fado na segunda pessoa do imperativo (“sofre”), Camané canta-o na primeira pessoa do singular do presente do indicativo (“sofro”). Continua é a ser muito difícil dizer qual delas a mais poderosa.
Tags: música
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments