miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

belo

Um dia destes, esta entrada fez-me lembrar um poema do Ruy Belo. Chama-se EU VINHA PARA A VIDA E DÃO-ME DIAS, e aí fica para assombro de todos, mas em especial da _grace_.

Eu vinha para a vida e dão-me dias
Reduzida ao relógio a aventura
eu próprio me despeço da lonjura
e troco por desastres alegrias

Se não cabiam nestas freguesias
os gestos que trazia agora à lura
mal assoma limito a desmesura
e cantam rouxinóis não cotovias

E digo "senhorio" "procurador"
quando quero falar da minha casa
o templo onde habita o senhor

Não pode o homem ser aquele que é
mesmo que pra voar distenda a asa
ou seja natural de nazaré
Tags: livros, ruy belo
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 8 comments