miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

sacudo as mãos

Sacudo as mãos.
Sacudo a areia que ficou colada à pele,
entre os dedos.

Estou parado em frente à casa,
que não conheço.
Não conheço os muros altos,
a varanda gradeada,
a árvore frondosa no jardim.

Aproveito e sacudo das mãos
o que resta de areia.
Volto as costas à casa e
subo a rua, e enquanto subo a rua,
subo também, afastando-me,
a rua antiga da minha memória.

E mal volto as costas à casa,
ela começa a desaparecer, como
uma fotografia velha,
como a areia por entre os dedos.
Tags: poemas
Subscribe
  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 3 comments