Previous Entry Share Next Entry
primeiro dia
rosas
innersmile


É um pouco estranho voltar a fazer as coisas “normais”. Aquelas coisas que nos davam prazer, e que fazíamos com a confiança abstracta de quem repete gestos essenciais. É estranho voltar ao cinema. É muito estranho voltar à piscina. Estar na água, nadar, era uma coisa que dava uma certa sensação de “empowerment”, uma recarga de auto-estima, um boost de confiança física. Agora há uma espécie de fragilidade, quase um medo. Não é bem o receio de não ser capaz, é mais o medo de que o que nos rodeia nos pode magoar, de que estamos vulneráveis, seja ao que for, a tudo, ao ar, à água, aos outros.

Entrar na água devagarinho. Experimentar. Respirar: inspirar pela boca, expirar pelo nariz. Empurrar os pés contra a parede, ensaiar a braçada, é isto, testar as pernas. Perceber, aos poucos, que está quase tudo intacto. Pelo menos o essencial. A sensação de liberdade, de fluidez, de comunhão com o elemento, a naturalidade do movimento, a ausência de resistência, de atrito, de peso, o prazer do ritmo, a tentação da velocidade.

Em pouco mais de trinta minutos, nadei seiscentos metros. Metade do que costumava nadar em quase tanto tempo. Mas é bom voltar a experimentar a sensação de bem-estar, depois de sair da piscina. E é sobretudo bom ter a sensação de que estamos apenas no primeiro dia.

  • 1
É bom saber que estás a recuperar. Força amigo. Bj. Lídia

é verdade, Lídia. tenho de admitir que nem eu próprio acreditei muito na minha capacidade de recuperação, depois da dureza do que sofri.

Que fortão! Para o alto e avante!


parece forte por causa do zoom da câmara :)

Eu também deveria fazer natação mas sou teimoso e não o faço. Acredito que seja relaxante, e para mais faz bem à alma e ao ego.

como eu estou a precisar de companhia para nadar, aparece :)

tu persistes sempre, para lá das coisas que a vida te vai lançando. és grande :) continuação de melhoras e boa recuperação.

pelo menos tento, mas desta vez está a ser muito difícil, mais do que eu próprio supus.

acredito que sim e gostava de ter as palavras perfeitas nestas circunstâncias... como não tenho, mando antes um grande abraço e muita força *

  • 1
?

Log in

No account? Create an account