Previous Entry Share Next Entry
escola pública
rosas
innersmile
Assistimos, impotentes, ao desinvestimento desastroso que o anterior governo fez na escola pública, ao mesmo tempo que transferia cada vez mais financiamento para as escolas privadas. Defendo, claro, a existência de um sector privado na educação, mas não que seja parasita das verbas do orçamento de estado.

Aquilo que deveria acontecer, seria o estado financiar as escolas privadas nos lugares onde não houvesse escola pública capaz de responder às necessidades que o estado considera essenciais, em termos de educação. Aquilo que acontece na prática, e Coimbra é disso um bom, ainda que infeliz, exemplo, é o estado subfinanciar as escolas públicas, ou encerrá-las mesmo, e em contrapartida transferir verbas para as escolas privadas.

Por isso concordei com a medida do actual ministro da educação, que me pareceu cautelosa: manter o financiamento das escolas privadas relativamente aos ciclos educativos actualmente a decorrer, cortar o financiamento para novos ciclos a iniciar. Há lugar para as escolas privadas, concerteza, mas não à custa do dinheiro dos contribuintes. Ao estado compete fomentar e qualificar a escola pública.
Tags:

  • 1
"Concerteza" não existe. O correcto é "com certeza".

Espero que não leve a mal o reparo.

os erros que repetimos desde sempre são os mais difíceis de corrigir

  • 1
?

Log in

No account? Create an account