Previous Entry Share Next Entry
prince rogers nelson
rosas
innersmile
Ontem o Bono pôs uma mensagem na página dos U2 do facebook, a dizer que não conheceu o Mozart, não conheceu o Duke Ellington ou o Charlie Parker, não conheceu o Elvis, mas conheceu o Prince. E pronto, essencialmente é isto que há a dizer da dimensão genial de Prince Rogers Nelson.

Tive duas grandes sortes na vida. A primeira foi ter vivido, nos anos 80, o momento em que o Prince explodiu como estrela da música pop, com o álbum Purple Rain, a banda sonora de um filme com o próprio músico e que eu só veria muito mais tarde, e a consequente descoberta da sua música, quer a que tinha feito antes, nomeadamente o disco 1999, quer sobretudo a série de discos fabulosos que ele fez até final dessa década.

A outra sorte grande foi ter visto o Prince ao vivo, quando ele veio fazer o primeiro concerto em Portugal, no estádio de Alvalade, em agosto de 1993. Uma tardaça de música (General D, Vaya con Dios, os New Power Generation) e uma longa espera. Finalmente Prince apareceu, tocou uns cinquenta minutos, que nos deixaram ao mesmo tempo saciados e com vontade de mais. Depois disso voltou mais algumas vezes a Portugal, mas, como se sabe, não se tem a sorte grande muitas vezes na vida.

Este ano está mesmo a ser devastador para a música pop. Já parecia um bocado estranho estarmos num mundo sem David Bowie; agora que morreu o Prince, vamos ter de viver num mundo sem génios.

  • 1
A vida é assim, leva-nos uns e cria outros. Mas há sempre um vazio quando alguns deixam este mundo.

O Prince faz parte da minha infância "musical" não segui muito a carreira dele, mas sem dúvida que tem temas que já eram eternos, agora ainda mais.

yeah, o Prince tem canções fantásticas :)

Exmo(a). Sr(a),

Eu, Psicóloga e estudante do Mestrado em Psicologia Clínica no Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA), venho por este meio solicitar a sua participação e apoio na divulgação de um estudo sobre a Satisfação com as Relações de Compromisso em Portugal.

O objetivo deste estudo é compreender o impacto que os diferentes tipos de acordos relacionais têm na satisfação com a relação de compromisso.

Nós estamos neste momento no fim da recolha da amostra para este estudo. Porém, a subamostra que está menos representada é aquela composta por pessoas não-heterossexuais que estão comprometidas a uma relação de compromisso. Tendo como objetivo aumentar a representação desta subamostra, contamos com a sua ajuda para divulgar o nosso estudo de uma forma mais próxima e direta. Se puder ajudar-nos, isto trará uma grande mais-valia para a representação da subamostra de não-heterossexuais neste estudo.

O presente questionário destina-se a mulheres e homens com 18 anos de idade ou mais, que estão neste momento comprometidos a uma relação de compromisso.

A participação é totalmente anónima e confidencial e não serão recolhidos quaisquer dados identificativos dos participantes.

O questionário está disponível em: http://bit.ly/20528YN

Michelle França, investigadora responsável
E-mail: michelledemattos@hotmail.com
ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Rua Jardim do Tabaco, n.º 34, 1149-041 Lisboa.

Agradeço desde já pela sua atenção.

Com os melhores cumprimentos,

Michelle.

  • 1
?

Log in

No account? Create an account