miguel (innersmile) wrote,
miguel
innersmile

memorial de aires



Mais uma vez começo o ano a ler Machado de Assis. É, creio, a quarta vez consecutiva (e o quinto livro do autor que leio). Desta vez Memorial de Aires, o seu último romance, escrito em forma de diário, mantido por um diplomata aposentado que vai anotando as peripécias sociais e românticas que se vão desenvolvendo no seu círculo de relações pessoais.

Um enredo quase mínimo, sem grandes tensões ou conflitos, mas uma narrativa magistralmente tecida, e uma escrita perfeita, ponteada de humor e ternura. Mais uma vez, como acontece em quase todos os seus livros que li, Machado de Assis consegue ser irónico e mesmo mordaz em relação às normas e convenções sociais (ainda que não tento neste como noutros romances), e ao mesmo tempo terno para com as suas personagens.

Tratando-se do último romance do autor, é um exercício impressivo sobre o envelhecimento vivido por dentro, ou seja por quem está a envelhecer. Para além do par romântico, as personagens do Memorial são velhos e velhas, uns mais doces, outros mais sofridos, uns reconciliados, outros amargos, mas todos eles tocados pela melancolia própria de quem já viveu as suas aventuras e agora se dedica a rememorá-las.
Tags: livros, machado de assis
Subscribe

  • azul velho

    Esta foto tem mais de 11 anos, foi feita em Março de 2008 na piscina de um resort em Hoi An, no Vietname, por um outro hóspede que eu não…

  • leituras

    Down There on a Visit é um dos livros do Christopher Isherwood de que mais gostei, e já li alguns. Como nas suas obras mais populares, também este…

  • leituras

    Continuo a entrar e sair do hospital por causa das infecções. Desde a última vez que escrevi aqui, já tive alta e, ao fim de 6 dias em casa, voltei a…

  • Post a new comment

    Error

    default userpic
    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 0 comments