?

Log in

No account? Create an account

Previous Entry Share Next Entry
high society
rosas
innersmile
Aproveitei as comemorações do centenário do nascimento de Frank Sinatra para rever os filmes que passaram na televisão, com o actor. Um deles foi um dos meus preferidos, High Society, um musical sui generis realizado por Charles Waters, com um elenco de luxo: Grace Kelly, no seu derradeiro papel no cinema, antes de ir viver as grandezas e as agruras do conto de fadas real no principado do Mónaco, Bing Crosby e Frank Sinatra, dois dos melhores crooners entre os melhores, Celeste Holm, e a participação preciosa do grande Louis Armstrong, que nao só intervém tanto musicalmente como narrativamente (é ele que abre e fecha o filme). E digo sui generis porque praticamente não tem números musicais coreografados, apenas música sob a forma de canções, de grandes canções.

É que, pelo menos para mim, o melhor do filme são as canções de Cole Porter, escritas propositadamente para ele. Uma mão cheia de standards, clássicos absolutos, ao nível do melhor que Cole Porter escreveu e compôs: Who Wants To Be a Millionaire, Well Did You Evah, You’re Sensational ou Now You Has Jazz (que serve para Satchmo apresentar individualmente os membros da sua banda). Mas, claro, a melhor canção do filme é True Love, uma daquelas baladas perfeitas, como só Porter sabia fazer (ok, e George Gershwin também).

Só agora a rever o filme é que me bateu que High Society é uma adaptação da peça The Philadelphia Story, a partir da qual George Cukor tinha feito, em 1940, um filme com Katharine Hepburn, Cary Grant e James Stewart, e que é um dos meus filmes preferidos. Claro, já me podia ter ocorrido que os nomes das personagens são exactamente os mesmos, Tracy Lord, C.K. Dexter e Mike Connor. Mas só agora, ao ver o filme e a reconhecer a trama e as peripécias da narrativa é que me bateu que a história era exactamente a mesma. Mas o que me fez mesmo o click para eu de repente me lembrar do filme de Cukor foi uma linha de diálogo, ou mais precisamente uma expressão: ‘yare’. Não consigo precisar qual é a frase dita em High Society, mas em The Philadelphia Story, a Tracy prometia ao Dexter mesmo antes de voltar a casar com ele: “Oh Dexter, I’ll be yare now, I’ll promise to be yare now”.
Tags: